About Me

15 outubro 2018

Como o destino quiser - parte 2

| | 0 comentários

Leia a PARTE I 

Eu estava atrasada. Muito atrasada.

Peguei a chave e me joguei porta a fora. Se eu pegasse o elevador naquele momento, ainda conseguiria chegar a tempo. Andei pelo corredor enquanto planejava mentalmente meu percurso até a faculdade. Meu plano foi por água abaixo quando me deparei com a maldita placa marrom pendurada na porta do elevador.

-Estragado? De novo?! - Minha voz saiu um pouco mais alta do que deveria.

Desci as escadas correndo. Mais uma vez me arrependi de ter deixado Laura ganhar a discussão sobre quem escolheria o apartamento. Morar no décimo andar já não parecia tão conveniente quanto ela fez parecer três anos atrás.

Sempre fui do tipo quieta, que prefere não se misturar, ao contrário da Laura, que sempre fez o tipo "abelha rainha" da escola. E continua a tradição, agora na faculdade. Acho que por esse motivo ela sempre ganhou nossas discussões. Eu geralmente concordava com ela para deixar o assunto morrer ali. Ainda não consigo entender como nos tornamos tão amigas.

Eram dez horas passadas, mas o calor era tão forte que já parecia o sol do meio dia. Comemorei quando virei a última esquina. Faltava apenas atravessar o parque e pronto, estaria na porta da faculdade.

Não sei explicar exatamente como ocorreu, porque na verdade, tudo aconteceu muito rápido. Quando me dei conta, um skate bateu em meu tornozelo e um garoto com olhos arregalados me segurou pelos braços para amortecer a queda, que era inevitável.

Tentei sair do caminho, em vão. Nós dois caímos. Minha bolsa voou para um lado e os livros para outro. Vi o garoto levantar e ir embora resmungando algumas palavras impossíveis de compreender. A impressão que me deu foi de que ele abraçou o skate - inacreditável.

E quando achei que as coisas não poderiam ficar mais constrangedoras, eu o enxerguei. Nunca havia o visto antes. Ele era lindo, alto e elegantemente magro. Vestia uma camisa polo azul clara, os cabelos ganhavam um tom acobreado ao sol e o sorriso exibia os dentes absurdamente brancos. Por um momento, nossos olhos se encontraram. Senti o rosto corar e voltei a me concentrar nos livros espalhados pelo chão. Ele estava mesmo olhando para mim?

Não tive tempo de concluir o raciocínio, quando percebi, ele já estava parado em minha frente, bloqueando o sol. E era ainda mais bonito de perto. Por um momento, esqueci de como respirar. O que eu estava fazendo mesmo?

Sem delongas, ele se abaixou, juntou meus livros e ao levantar -se, me estendeu a mão.

- Eu estava observando do outro lado da praça. Foi uma queda e tanto.
- É, eu até tentei evitar - disse, segurando a mão dele - mas não deu muito certo.
- Que bom - respondeu ele, sorrindo. - Quero dizer, eu estava sentado procurando um motivo para vir falar com você. Estou devendo uma para aquele garoto.

Enquanto ele falava, meu coração batia tão forte que parecia que sairia pela boca a qualquer minuto. Ele sorriu novamente.

- Você pode, por favor, dizer alguma coisa?
- Obrigada - respondi, depois de um tempo tentando organizar os pensamentos.
- Já é um começo. Você estuda aqui? - ele perguntou, apontando para a porta da faculdade.
- Sim, curso direito. - Ao terminar a frase, lembrei subitamente do meu trabalho. - Que horas são?! 
 - Dez e vinte e cinco.
- Ah, droga! - gritei, enquanto saía apressada.
- Ei! - ele gritou, acenando - Você nem me disse seu nome!
- Desculpe! - foi o máximo que consegui responder, antes de sair correndo desajeitada, sem olhar para trás.

Eu tinha cinco minutos pra atravessar todo o campus. Corri o mais rápido que pude, abrindo espaço por entre os grupos de estudantes que se formavam perto das portas. Quando finalmente consegui entrar na sala e respirar, a única coisa em que pude pensar foi que, definitivamente, aquele era o sorriso mais lindo da história.

(continua)

E então, curtem esse tipo de post? Querem ler o resto dessa história? Não deixem de me contar aqui nos comentários!

10 outubro 2018

5 Dicas Para Adquirir o Hábito da Leitura

| | 0 comentários

1. Não postergue, comece!


Um dos erros mais comuns que cometemos – não somente com a leitura mas em muitas outras áreas da vida – é postergar tudo que queremos fazer. Quem nunca teve aquela vontade de começar uma dieta ou mudar os hábitos alimentares, mas sempre arruma uma desculpa para começar em uma segunda feira que nunca chega? Com a leitura é a mesma coisa. Se ficarmos encontrando defeito, ou esperando o dia perfeito chegar, nossa vontade nunca sairá do papel. Então, minha dica para você é: COMECE! Seja por um livro, um jornal ou até mesmo o encarte do supermercado, o número de páginas não importa, o primeiro passo é começar. Depois com o tempo vai aumentando gradativamente o ritmo da leitura.


2. Leve o livro com você


Essa é uma dica muito importante, e que fez muita diferença para mim. Nossos dias são tão corridos e parecem tão curtos, que fica muito difícil encontrar o horário ideal. Na maioria das vezes acabamos por priorizar outras tarefas e deixamos a leitura de lado para quando encontrar tempo, e acaba que o tempo nunca chega. Levar o livro onde for facilita esse exercício. Quantas vezes ficamos sem nada para fazer em uma fila de banco, no intervalo da escola/faculdade ou esperando alguma consulta? Esses minutos preciosos podem ser aproveitados lendo um livro.


3. Dê uma chance aos e-books


Sei que muitos acharam a dica 2 muito complicada, muitas vezes os livros são pesados, não cabem na bolsa e fica difícil de levar embaixo do braço. Justamente por isso temos a dica número 3: De uma chance aos e-books. Hoje em dia temos um mundo de opções online para facilitar a vida da gente. Eu por muito tempo tive restrições com leitores digitais e e-book em celular, até ganhar um leitor digital de aniversário (). Resolvi dar uma chance e foi uma grata surpresa. Ele é fácil de ler, leve e fininho e cabe em qualquer canto. Levo para onde for. Com ele só em 1 mês consegui ler 3 livros, o que não é muito fácil tendo um blog, um bebe de 1 ano, trabalhando o dia todo e fazendo fotografia aos finais de semana. E pra quem não tem interesse no leitor digital, o celular pode ser um grande aliado nesse momento. Existem muitos apps gratuitos que facilitam e muito a leitura. Vale a pena experimentar.

4. Aprenda a desistir do livro


Ler um livro forçado é o maior veneno para quem quer se iniciar no mundo da leitura. Eu mesma já me obriguei algumas vezes a terminar um livro que eu não gostei só por ter começado, e acabou que a leitura não fluiu, a história se tornou maçante e arrastada, demorei meses para conseguir terminar e mais alguns meses pra ter coragem de começar a ler novamente. Foi uma ressaca daquelas. Com o tempo aprendi que temos que achar a nossa história. Se o livro que você escolheu não era aquilo que esperava ou não fluiu, não se obrigue, aprenda a desistir e parta para outra.

5. Estabeleça uma meta


Na maioria das vezes as metas servem como um estimulante pra conseguirmos chegar aos nossos objetivos. Acho que para que está iniciando na vida de leitor, e ainda está organizando a vida e encontrando horários, as metas serão de grande ajuda. Mas, cuidado! Estabeleça metas que você sabe que vai poder cumprir. Metas absurdas podem ter o efeito contrário, e te desmotivar. Eu comecei a minha com 20 páginas por dia, e fui aumentando gradativamente. Acho que é um número razoável e fácil de se atingir.

DICA BÔNUS!

6. Faça parte de uma rede social para leitores


Sim, existem redes sociais voltadas para os amantes de livros. O legal de fazer parte é que você consegue traçar metas de leituras, fazer listas, marcar o que já foi lido e ler várias indicações e resenhas de outros leitores. Eu particularmente gosto muito do skoob, porque além de tudo isso, é possível trocar livros com os outros usuários.

Então é isso pessoal, espero que tenham gostado das dicas e que elas ajudem a mudar/adquirir o hábito da leitura de vocês!

08 outubro 2018

5 perfis incríveis do instagram para quem curte Bullet Journal

| | 0 comentários

Recentemente eu fiz um post falando sobre começar a treinar letterig e como eu gostaria de iniciar um bullet journal. Desde que decidi efetivamente estudar essa técnica, comecei também a pesquisar inspirações de BUJO pra ir "testando" e ver o que tem mais a minha cara.

Nessas pesquisas da vida achei muitos perfis lindos no instagram com inspirações incríveis que vão ajudar muito na hora de jogar os temas para o papel. Como eu sei que tem muuuitas pessoas na mesma situação que eu, iniciando nesse mundo a passinhos de bebê, resolvi compartilhar com vocês alguns perfis que eu sigo e que tem me ajudado muito!

1- @meubulletjournal - Maria Lowen

Conheci o @meubulletjournall já faz algum tempo, através do perfil pessoal da Maria Lowen. Esse foi o primeiro ig sobre bujo que segui. Adoro as dicas e posts que ela dá, são super fáceis e fofas! E além do IG, é possível encontrar conteúdos interessantíssimos no canal dela, no youtube.


2 - @bujoist - Jane

Confesso que não lembro como conheci a Jane, mas estou sempre atenta as postagens dela. Ela libera muitos vídeos legais no feed com inspirações de desenhos para decorar as páginas do BUJO. Falando assim pode parecer difícil, sei que muita gente assim como eu acha que não tem talento para o desenho, mas a Jane faz paecer tão fácil, que com o tempo a gente acaba pegando. Vale super a pena conferir o IG dela.


3 - @bujoideias - Lidiane Almeida

Conheci a Lidiane através do IG da Thaís, do @pronomeint, e foi amor a primeira vista. Além de postar inspirações incríveis de páginas para Bullet Journal, ela posta também, inspirações para quem curte lettering e papelaria. Tem como não amar?


4 e 5 - @bujolizando - Tats e  @bujomore - Andressa Silva 

Conheci a Tats e a Andressa em um sortei no instagram. Como não tenho muita sorte com essas coisas, não ganhei nenhum, para variar. Mas, em compensação, ganhei mais dois IG's mega fofos para minha lista de inspirações. Elas postam fotos diárias dos BUJOS delas, canetas, washi tapes, dicas, resenhas de produtos de papelaria e lettering e muito mais. Vale muito  pena conferir.


Então é isso, pessoal. Espero que vocês tenham gostado e que esses IG's possam inspirar e motivar vocês tanto quanto eu para começar o BUJO de vocês.

Beijos

17 setembro 2018

Bullet Journal: Minha primeira Brush Pen + treinando lettering

| | 0 comentários



Quem me conhece sabe que eu sou a louca da papelaria.  Amo organização e tenho coleção de cadernos e canetas. Quando iniciou a onda do bullet journal, fiquei desesperada para ter um bujo para chamar de meu. Mas, como nunca tive muito talento para desenho e coisas manuais, faltou coragem.

No entanto, como decidi que em 2018 eu me tornaria a melhor versão de mim mesma (rs!) resolvi criar coragem e começar estudando lettering para não fazer feio! Por isso, comprei minha primeira brush pen. E olha, foi uma verdadeira saga. Andei por diversas papelarias aqui em Porto alegre, e nada. Nem uma para contar a história. Até que eu encontrei a Koralle – e gente, não é propaganda, não! Só quero dividir a informação com quem está tão desesperada quanto eu.

Pois bem, comprei duas SAKURA KOI, uma lavanda (por R$10,80) e outra preta (por R$10,01).  Tentei uma stabillo mas estava em falta, então optei pela Triplus Fineliner preta, que saiu R$8,08 e um kit da Bic Intensity (preta, azul e vermelha) que custou em torno de R$ 15.



Estou super animada para começar a praticar! Confesso que já faz um tempo que comprei as canetas, mas ainda não tinha criado coragem para dar início, então eu assisti uns vídeos que a Ju Cirqueira do canal Nuvem literária postou, e me inspirei. Ela está postando uma sequência de vídeos muito legais com aulas e dicas da Ju Thom para quem quer iniciar no mundo do lettering.



Eu já havia tentado fazer uns rabiscos, que falharam lindamente. Isso me deixou meio desmotivada e acabei deixando tudo de lado. Agora entendi que meu erro foi não ter pesquisado e estudado de verdade, e tentado fazer tudo a la louca. Agora que entendi a importância de conhecer bem os traços, o caminho da letra, como eles sobem e como eles devem descer e sei que existe algumas regrinhas e caligrafias básicas para quem está iniciando, as coisas se ajeitaram um pouquinho.



Iniciei treinando os traços, mas esqueci de tirar foto 🙈, depois passei para o worksheet (que eu nem imaginava que existia ). A Ju disponibilizou um para download na descrição de um dos vídeos, mas como não consegui baixar, usei o freebie da acraft, disponível no blog da loja.



Como vocês podem ver, ainda estou bem no início, as letras estão saindo um terror, mas recém, foi o primeiro dia de treino. Mas conforme for avançando, vou postando por aqui.

E por hoje é isso, pessoal. Espero que voês tenham gostado. Queria dividir com vocês essa primeira experiência e deixar registrado que é possível sim, aprender lettering mesmo não tendo noção nenhuma de desenho, é só estudar e se dedicar que a coisa flui!E vocês, já tentntaram ou tem vontade de aprender também? Não deixem de contar aqui nos comentários!

Beijos

12 setembro 2018

Como o destino quiser - Parte 1

| | 0 comentários



Acordei aquela manhã com o som do despertador ecoando em minha cabeça. Sem vontade alguma, levantei e fui até o banheiro. Escovei os dentes,  joguei uma água no rosto e tentei convencer a mim mesma de que hoje seria um dia melhor. Mas como acreditar nisso se era difícil até mesmo olhar meu reflexo no espelho?

- Bom dia! Pronta para hoje a noite?

A voz estridente de Laura me trouxe subitamente de volta a realidade. Ela estava parada ao lado da mesa já arrumada, servindo uma caneca de café.

Laura e eu somos colegas desde o ensino fundamental, e hoje dividimos o mesmo apartamento. Embora eu a ame como uma irmã, apesar de seu estilo cheerleader, às vezes a convivência pode ser irritante.

- Bom dia - respondi, juntando os livros espalhados pela sala.
- A onde é que você vai sem tomar café?
- Para a faculdade. Tenho um trabalho para entregar, lembra? -Desejei não ter terminado a frase com uma pergunta, isso daria margem para mais assunto, e era exatamente o que eu não queria.

Como esperado, Laura suspirou e atravessou a sala em minha direção.

- Senta e toma o seu café - insistiu, estendendo-me a caneca. - Você ainda não respondeu minha pergunta.

Bebi um gole de café, e me preparei para o drama que viria a seguir.

- Amanhã é meu primeiro dia de estágio. E você sabe que estou em época de provas...
- O que? Não! - ela gritou, balançando a cabeça negativamente - Não me venha com essa. Ana, já faz quase um ano. Você precisa superar o que aconteceu. Não dá pra passar o resto do curso se escondendo. Você precisa conhecer gente nova, sair desse apartamento!
- Estou tentando sair desse apartamento - rebati, mostrando os livros em minhas mãos.
- Você sabe do que eu estou falando - ela franziu o cenho, seu olhar era duro de reprovação. - Você não quer encontrar o Diego.

Me encolhi ao ouvir o nome dele. Laura tinha razão. Eu não queria encontrá-lo. Não por não ter superado o que sentia, mas por não ter superado a humilhação de ter sido traída -publicamente. Por me sentir a mais tonta das mulheres toda vez que o encontrava. Meu orgulho estava ferido, e minha dignidade... Bem, já estava a ponto de espalhar cartazes de procura-se.

Conheci Diego no primeiro ano da faculdade. Confesso que no início não me chamou muito atenção, mas seu senso de humor e seu jeito encantador acabaram me ganhando. Nós éramos um casal normal de namorados. Estudávamos durante a semana, íamos ao cinema aos finais de semana e frequentávamos a maior parte das festas que o pessoal do campus organizava - isso mais por insistência dele mesmo.

Tudo corria muito bem até ele ser pego semi nu aos beijos com uma caloura dentro da dispensa de uma dessas festas. Fomos assunto por semanas, ele foi sensação no youtube e demos uma boa matéria para o jornal da faculdade.

- Você precisa ir!

Mais uma vez, Laura me trouxe de volta a realidade.

- Vai ser divertido. Todas as nossas amigas estarão lá, e você vai poder mostrar a todos, e ao Diego, que o que passou já é página virada -concluiu.
- E o meu estágio?
- Você já foi para muitas aulas virada, um dia de estágio não vai fazer mal. Até ajuda a relaxar.
- Talvez você tenha razão - enfim, me rendi.

Outro suspiro. Ela sentou-se no sofá a minha frente e prendeu os cabelos em um rabo de cavalo.

- Eu sempre tenho razão. E você está atrasada.

************** 
E aí, gostaram do texto? Querem continuação? Não deixem de me contar aqui nos comentários!!

Beijos